Aconselhamento Online e Interações Terapêuticas com Nativos Digitais

Qual a importância das ferramentas online para o aconselhamento e interações terapêuticas com nativos digitais? 252 pessoas participaram no inquérito Therapy 2.0 e responderam ao questionário.

Amostra

  • 252 pessoas de 7 países
  • Cerca de 80% são mulheres
  • 13 tem idades compreendidas entre os 41-50 anos
  • Grande variedade nos anos de experiência: 0-25 anos
  • Cerca de 50% são conselheiros, 42% são terapeutas, 20% outros

Uso das ferramentas online

  • E-mail (mais de 74%), Redes Sociais (30%), Videoconferência (27%)
  • Serviços promovidos pelas redes sociais (cerca de 40%), sobretudo Facebook (86%) e outros (35%), como websites e LinkedIn
  • O PC é o principal dispositivo de hardware (cerca de 70%)

Experiência com ferramentas online

  • Mais de 50% tem uma opinião positiva ou muito positiva sobre as ferramentas online no aconselhamento / terapia, enquanto 25% revela não possuir experiência com as mesmas
  • Aqueles que raramente usam ferramentas eletrónicas justicam-no por estas lhes parecerem “demasiado impessoais” (50%) e “não serem suficientemente seguras” (34%) – NÃO por acharem que o aconselhamento e terapia online são ineficazes (12%)!!

Principais Vantagens

  • “Flexibilidade na escolha do lugar” (75%), “Flexibilidade temporal“ (67%), “Maior facilidade de acesso para alguns grupos alvo“ (56%), “Chega ao alcance de novos grupos de pessoas necessitadas” (52%)

Principais Obstáculos

  • “Falta de comunicação verbal“ (72%), “Não é apropriada para todos os casos nem para todos os problemas“ (63%), “Potenciais erros de interpretação“ (57%)

Os 8 problemas mais comuns dos jovens adultos

  • Problemas familiares (69%), desordens de ansiedade (68%), depressão (55%), falta de competências para a resolução de conflitos (50%) e para a comunicação (49%), dificuldades de aprendizagem (49%), abuso de álcool e drogas (42%), bullying/cyberbullying (40%) => Temas comuns a ambas as áreas (aconselhamento e terapia)

Necessidades e Expetativas do Therapy 2.0

  • Temas: “experiências dos colegas“ (72%), “questões relacionadas com privacidade” (49%), “questões éticas” (47%), “comunicação consoante o meio escolhido“ (42%)
  • Oferta: “um conjunto de ferramentas de informação disponível num portal web“ (64%)
  • Interesse em participar em ações de formação: sim (49%), talvez (37%)